Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Etiquetas:

A Febre das Tulipas

 

17-tulip-fever.w710.h473.jpg

Inspirado no livro de 2000 que conquistou o mundo e com a própria autora - Deborah Maggach – a trabalhar na adaptação para o cinema, acaba de chegar às salas, A Febre das Tulipas, que nos leva para a agitada Amesterdão do início do Séc. XVII. À porta do Rio Amstel fica a abastada casa do mercador Cornelius Sandvoort, que, como muitos da sua época, se dedicava a comprar e vender aquilo que de melhor vinha das colónias. Após a doença ter levado a mulher e filhos, Cornelius (Chistoph Waltz) resolve voltar a casar e vai ao orfanato mais próximo buscar a belíssima Sophia (Alicia Vikander), a quem dá uma vida folgada em troco de um filho. Infeliz com a união, Sophia conta apenas com Maria (Holiday Grainger) como amiga e apoio. Mas até a jovem criada parece ser mais feliz do que Sophia, amada pelo peixeiro Willem (Jack O´Connell) e com planos para casar. Só quando o jovem pintor Jan Van Loos (Dane De Haan) chamado pela vaidade de Cornelius chega a casa do mercador é que a vida de Sophie muda. Ao pintar o retrato do casal, Sophia e Jan acabam por se apaixonar e começam a pensar em formas de fugirem ao zeloso marido. Ao mesmo tempo, Amesterdão vive uma verdadeira loucura, com uma procura incessante pelas mais valiosas túlipas, que chegam a valer milhares de florins e ter uma bolsa própria. Interessante filme de época, com reviravoltas mais ou menos surpreendentes, com boas interpretações de Vikander e Grainger e com uma pequena parada de estrelas a fazer papéis secundários, como Tom Hollander, Matthew Morrison, Kevin McKidd, Zach Galifianikis, Cara Delavigne, David Harewood ou Judi Dench.

Autoria e outros dados (tags, etc)

16.10.17

Etiquetas:

Lego Ninjago

the-lego-ninjago-movie-image-2.jpg

Os filmes do Lego não são para toda a gente. São apenas para os fãs de Lego, que não são assim tão poucos, desde os que cresceram com a marca até aos que estão a crescer com ela. A marca nórdica de tijolos de plástico cresceu até se tornar num gigante do entretenimento, chegando aos livros, videojogos, séries e cinema. Após um interessante Lego Movie e um muito divertido Lego Batman, regressou com a história dos ninjas Ninjago. A trama é simples. A cidade de Ninjago é constantemente invadida pelo vilão Garmadon. Prontos a expulsa-lo estão sempre os ninjas (uma espécie de Power Rangers, com cores e veículos de ataque diferentes), Lloyd, Cole, Jay, Kai, Nya e Zane. Estas aventuras e desventuras fazem com que cada lado procure armas mais poderosas e derradeiras. Uma história bastante prevísvel com com diversas cenas bastante divertidas e que fazem rir a bom rir, como quando o filme é invadido por um gato. A  sério. Na versão original, ouvem-se as vozes de atores de primeira como Jackie Chan, Dave Franco, Fred Armisen, Michael Peña, Justin Theroux ou Olivia Munn. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

12.10.17

Etiquetas:

It

it.jpg

No ano passado, Stranger Things (Netflix) foi um estrondoso sucesso mundial. O ambiente anos 80 de uma pequena cidade americana, fustigada por um estranho "monstro", combatido por um grupo de crianças "nerd", foi uma extraordinária experiêcnia de revivalismo, fazendo lembrar os melhores anos de Steven Spielberg. Este ano, chega aos cinemas, It. Nele, nos anos 80, uma pequena cidade americana é fustigada por um estranho "monstro". Para o combater, entram em ação um grupo de crianças "nerd". Uma delas, até é a mesma. Mike de Stranger Things e Riche de It são interpretadas por Finn Wolfhard. Não defendo que haja uma cópia, até porque It já tinha saído da pena de Stephen King há vinte anos. Mas defendo que It aparece entre temporadas de Stranger Things para lembrar os seus méritos. Passemos à frente. Em It, uma série de crianças começa a desaparecer, na pequena cidade de Derry. Ao mesmo tempo, um grupo de crianças, acabadas de entrar nas férias de verão começam a ter assustadoras visões com um palhaço maléfico, sempre acompanhdo por um balão vermelho. À medida que as crianças percebem que as visões são realidade e que os adultos não as conseguem ver, começam a planear uma forma que cortar o mal pela raiz. Interpretações superiores dos miúdos Bill (Jaeden Lieberher), Richie (Finn Wolfhard), Beverly (Sophia Lillis), Ben (Jeremy Ray Taylor), Mike (Chosen Jacobs) e Eddie (Jack Dylan Grazer). O palhaço, Pennwise (Bill Skarsgard) esse, é aterrador, como se percebe logo pela sua primeira aparição. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

11.10.17

Etiquetas:

Mãos de Pedra

430762.jpg

Mãos de Ferro, de 2016, conta a história de Roberto Duran (interpretado por Edgar Ramirez), o mítico pugilista panamiano, campeão do mundo em várias ocasiões e vencedor de 103 dos 119 combates onde participou. O filme foca-se na fase em que é treinado por Ray Arcel (Robert De Niro) rumo ao seu primeiro título mundial contra Sugar Ray Leonard (Usher). Nascido num meio muito pobre, sem pai e com vários irmãos, Duran começou a lutar desde muito cedo, ganhado dinheiro para sustentar a família. Foi descoberto por um treinador local e começou a ganhar fama. Mas só quando foi combater aos EUA, se tornou num sucesso mundial e claro, herói nacional do Panamá. Quando ainda estava a colher os louros da fama, foi “tramado” pelo seu empresário e teve que defender o título, quando não estava preparado e acabou por desistir. Voltaria em grande, numa nova categoria para roubar o cinturão a um opositor bastante mais jovem. Nasceu assim a lenda de mãos de ferro. O filme conta ainda com a belíssima Ana de Armas como Felicidad, mulher de Duran.

Autoria e outros dados (tags, etc)

27.09.17

Etiquetas:

Cantar!

sing-2016-movie-animation-characters-(9212).jpg

O cinema de animação sempre me fascinou. Talvez por algum complexo Peter Pan, talvez por possibilitar fazer cenas que a realidade ou os efeitos especiais não consigam. Lembro-me de ver os clássicos da Disney, bastante femininos e descobrir, já jovem adulto as maravilhas de uma nova escola, encabeçada pela Pixar e por Shrek, no qual cada filme tinha camadas e agradava de formas diferentes a diversos públicos. Nunca deixei de ver animação e ontem debrucei-me sobre o fantástico Cantar. Nele, como em Zootropolis, temos uma fábula ao melhor estilo de La Fontaine, onde os animais falam e fazem tudo como os humanos. Um teatro decante, liderado pelo koala Buster Moon (voz de Matthew McConaughey), procura um espetáculo que o salve. Moon resolve lançar um concurso ao melhor estilo do Ídolos mas por erro da sua senil secretária, a camaleão Miss Crawley (Garth Jennings) o prémio passa de 1000 a 100.000 dólares, o que faz com que centenas de candidatos se apresentem a concurso. Moon escolhe a porca Rosita (Reese Whiterspoon), o rato Mike (Seth MacFarlane), a porco-espinho Ash (Scarlett Johansson), o gorila Johnny (Taron Egerton) e a elefante Meena (Tory Kelly). Enquanto cada um dos cantores tenta equilibrar a vida pessoal (ser mãe, ter dívidas e ser perseguido por agiotas ursos russos ou vencer a sua timidez) os ensaios continuam, sendo que a Moon, tudo parece acontecer e tudo parece desmoronar à sua volta. Um filme hilariante, um dos melhores do seu género dos últimos anos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

05.09.17

Etiquetas:

Sonhos perdidos

bill.png

Wayne Caraway (Bill Paxton) e a filha Casey (Sophie Nelisse, d´A Rapariga Que Roubava Livros) mudam-se para uma pequena cidade no interior dos EUA. Wayne ocupará um lugar como polícia e a filha ficará entre a escola e a lida de casa. Cedo percebemos que Wayne é um homem sombrio e, quando bebe, com tendência para ser violento, sendo o alvo imediato, a filha. A adolescente vê no vizinho Jonas (Josh Wiggins) um refúgio e começa a namorar com ele, contra a vontade do pai. Proibido de ver a namorada, Jonas acaba por tentar faze-lo às escondidas. Numa das suas visitas à casa de Wayne, acaba por se esconder na sua carrinha e vê-se como testemunha do assassinato de um gangue às mãos de Wayne. Sem pensar muito, resolve pegar no dinheiro roubado pelo polícia ao gangue e começa uma fuga com Casey, rumo à liberdade. Casey aceita fugir do pai violento e Jonas, foge da sua vida simples de campónio. Seguem-se momentos de tensão, enquanto Wayne e o seu cúmplice, o também polícia (Colm Feore) tentam encontrar o jovem casal e recuperar o saque. Interpretação assombrosa de Paxton.

Autoria e outros dados (tags, etc)

31.08.17

Etiquetas:

Wind River

Wind-River-movie-poster.jpg

Uma jovem aparece morta na neve, numa reserva índia algures no Wyoming. Percebe-se que estava a fugir de alguma ameaça, quando acabou por morrer congelada. Tratando-se de um crime federal, é chamado o FBI ao local, mas a agente mais perto é Jane (Elizabeth Olsen), uma jovem inexperiente que, tendo garra, não colhe o respeito dos locais e se sente algo perdida. Recorre então à ajuda de Cory (Jeremy Renner), um caçador local, que encontrou o corpo. Cory caça predadores que comem os animais da zona e segue rastos como ninguém. Junto, o duo parte em busca de pistas sobre o assassino, enquanto Cory promete à família de Nathalie (Kelsey Asbille) que encontrará o assassino. Um thriller de primeira qualidade, com uma dureza proporcionada pela neve e isolamento, com desempenhos fabulosos de Renner e Olsen.

Autoria e outros dados (tags, etc)

30.08.17

Etiquetas:

O Guarda-Costas e o Assassino

9da99f2f25c19df5ef40a3443573dc3c-1-754x394.jpg

Ryan Reynolds é um dos meninos bonitos de Hollywood. Ganhou fama com filmes juvenis como Van Wilder, passou para comédias românticas como Apenas Amigos ou A Proposta e até fez alguns filmes interessantes como Enterrado. Depois, numa fase em que os filmes de super-heróis ainda eram maus, fez o desastre que foi Lanterna Verde (2011). Em 2015, esteve em grande em Mulher de Ouro e no ano passado estrelou Deadpool. E a sua carreira mudou. Reynolds gozou consigo e com os filmes de super-heróis, interpretando o vingador mais politicamente incorreto de sempre, num dos filmes mais divertidos dos últimos anos. O público que não gostava dele foi conquistado. O timing perfeito de Reynolds para o humor será aproveitado em Deadpool 2 e foi-o já este ano em O Guarda-Costas e o Assassino. Reynolds é Michael Bryce, um guarda-costas de topo que ser orgulha de proteger ao máximo os seus clientes, ao pensar em tudo o que pode correr mal. Mas quando Amelia (Elodie Yung), sua ex-namorada, lhe pede que a ajude a levar Darius Kincaid (Samuel L. Jackson) até Haia, em segurança, a vida de Bryce começa a andar para trás. Kincaid é o mais mortal assassino que existe e só ele tem provas que podem condenar o ditador de leste, Dukhovich (Gary Oldman). Mas Kincaid tem um pequeno exercito atrás dele, com vontade de o convencer a não falar. Para sempre. E inicia-se um jogo do gato e do rato, cheio de boas cenas de ação. Mas o que faz do filme uma surpresa e uma pequena sensação, é a química cómica entre Reynolds e Jackson. Perfeita ainda a aparição de Salma Hayek como a mulher de Kincaid, numa persona bad ass, presa mas no comando total das outras prisioneiras e dos guardas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

29.08.17

Etiquetas:

Manchester by the Sea

manchester2.jpg

Apesar de ter sido um dos filmes mais falados de 2016, acabei por não ver, até hoje, este Manchester by the Sea, terceiro filme de Kenneth Lonergan. Lee Chandler (Casey Affleck) vive uma vida pacata em Boston, trabalhando como “faz-tudo”, vivendo num quarto minúsculo e bebendo uns copos para passar o tempo. Quando recebe a notícia da morte do irmão Joe (Kyle Chandler), regressa à pequena cidade de Manchester para tratar do funeral. O que não espera é que o irmão o tenha nomeado tutor de Patrick (Lucas Hedges), seu sobrinho. E Lee fica uns tempos em Manchester a cuidar do sobrinho, que anda entre a dor da perda do pai e a tentativa de ter uma vida normal na escola, com a sua banda e com as suas duas namoradas. Mas Lee também guarda uma tragédia que o levou a deixar Manchester, a separar-se da mulher e a ser, aparentemente frio e despreocupado. Anos antes, Lee perdera os três filhos, num incêndio. E se existem cenas geniais, onde, apesar do cenário negro, só temos vontade de rir, este é um filme duríssimo sobre a perda e como seguir em frente após ela, muitíssimo bem demonstrado pela cena entre Lee e a ex-mulher Randi (Michelle Williams) que só por si, faz o filme valer a pena. Um soco no estômago.

Autoria e outros dados (tags, etc)

27.08.17

Etiquetas:

Amigos, amigos, telemóveis à parte

589234.jpg

O negócio da distribuição faz com que o consumo de cinema em Portugal seja, essencialmente, de filmes norte-americanos. Percebe-se o encanto. Num produto que vive da imagem, ter milhões de dólares ajuda a fazer bons filmes. Mas na Europa, sobretudo em França e também em Itália ou Inglaterra, também há muito bom cinema. E em todos os géneros. A comédia é um deles. O humor britânico é conhecido e único. O francês, inspira muitos remakes americanos e o italiano, cujo expoente maior será, hoje, Nanni Moretti, está numa boa fase. Prova disso é este "Amigos, amigos, telemóveis à parte" (no original, o título é mais caustico e apropriado - "Perfeitos desconhecidos"), que, disfarçado de comédia, debate sobre a forma como hoje em dia a vida de cada um de nós está no seu telemóvel. Um grupo de amigos, que se conhece há anos, encontra-se para jantar. O casal Rocco (Marco Giallini) e Eva (Kasia Smutniak) recebe os casais Lele (Valerio Mastandrea) e Carlotta (Anna Foglietta) e Cosimo (Edoardo Leo) e Bianca (Alba Rohrwacher). Peppe (Giuseppe Battiston) completa o grupo. A dada altura, Eva sugere que todos os convivas que ponham os seus telemóveis em cima da mesa e que todas as comunicações recebidas sejam lidas em voz alta. E, se existem situações de comédia, os segredos mais escuros também começam a ser descobertos...

Autoria e outros dados (tags, etc)

26.08.17





Barbearias & Cabeleireiros

GENERALISTAS

FEMININOS

MASCULINOS





aRmário

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D